NAZARÉ – Sábado, 30 de Setembro de 2016, a peça de teatro “Um Homem sem Fronteiras” foi representada no âmbito do primeiro centenário da morte do Beato Charles de Foucault. Setecentas pessoas puderam apreciar este espectáculo montado por jovens e adultos de Nazaré.

O Beato, de origem francesa, viveu em Nazaré durante três anos (1897-1900) onde encontrou na cidade de Jesus uma fonte de inspiração fundamental na sua vida: o mistério da vida escondida de Jesus. O Irmão Charles está na origem de uma importante página de espiritualidade cristã que inspirou um grande número de congregações e associações tocadas pela sua mensagem espiritual. Entre estas, a das Irmãzinhas dos Pobres de Jesus presentes há mais de sessenta anos em Nazaré e os Irmãos dos Pobres de Jesus Caritas há vinte anos.

É com eles que os cristãos de Nazaré se reúnem há mais de dois anos para prepararem as diferentes iniciativas para a celebração deste centenário e entre as quais esta peça representada no passado  sábado. Setenta pessoas envolveram-se neste projecto. Crianças, adolescentes, adultos, cada um contribuiu para este importante acontecimento na medida dos seus talentos.

Setecentas pessoas puderam apreciar este espectáculo que representava, em língua árabe e em cinco quadros, a vida de Charles de Foucault. As cinco zonas geográficas assim representadas: Argélia como jovem soldado, Marrocos como escuteiro; a França durante o seu caminho de conversão; Nazaré e a Terra Santa como religioso e, de novo, a Algéria como padre, missionário e monge.

Muitos jovens, que se dedicaram a este projecto durante muito tempo, reuniram-se durante meses para trabalharem e melhorarem a qualidade dos seus actores bailarinos, cantores, músicos, técnicos ou figurinistas. A peça foi escrita e dirigida por Amira Mouallen, professora cristã em Nazaré, que conseguiu com esta peça transmitir a experiência espiritual deste homem apaixonado por Jesus, nazareno por opção, que vivia na solidão com Cristo e no espírito de uma fraternidade verdadeiramente universal.

A representação realizou-se no lindíssimo claustro do antigo mosteiro das Clarissas, hoje a Escola da Sagrada Família, instituto dos Padres de Dom Guanella vocacionado para o acolhimento de crianças deficientes. Mons. Giacinto-Boulos Marcuzzo, Vigário Patriarcal em Israel, Mons. George Bakouni, Bispo Melequita da Galileia, e Mon. Boutros Mouallem, Bispo Emérito Melequita, assistiram à representação assim como numerosos padres e religiosos entre os quais a comunidade salesiana de Nazaré que, com a sua juventude, deu um contributo importante para o êxito da peça. Os numerosos jovens presentes puderam assim descobrir a figura do Beato Charles de Foucault conhecida e respeitada pelas pessoas mais velhas, mas cuja lembrança poderia ir desaparecendo ao longo das próximas gerações.

No fim da representação, o Padre Marco agradeceu a todos os jovens voluntários que fora numerosos a animarem os eventos organizados no âmbito do Centenário, e em particular ao fotógrafo Basillius Mazzawi.

Para além do resultado obtido, o que conta antes de mais é que Nazaré esteja de novo a falar de Charles de Foucault”. Foi assim que um dos participantes na peça resumiu esta bela experiência.

Numa entrevista dada aos jornalistas do Christian Media Center, um outro participante exclamou com alegria: “Charles de Foucault ainda vive em Nazaré”.

Irmão Marco Cosini jc

image_print
Designed and Powered by YH Design Studios - www.yh-designstudios.com © 2017 All Rights Reserved
X